Prova chocante do quanto o sol pode envelhecer sua pele

19/06/2012 19:39
 


A foto acima mostra um homem de 69 anos. Não é Photoshop: metade do seu rosto parece, realmente, bem mais velha que a outra metade. Como isso aconteceu?

Por conta de seu trabalho como entregador, esse senhor passou 28 anos de sua vida fazendo certas rotas dirigindo um caminhão e expondo mais seu lado esquerdo do rosto ao sol. Os raios ultravioleta do sol refletiam em sua janela e atingiam a sua pele em maior quantidade do lado esquerdo, o que provocou envelhecimento cutâneo, ou fotoenvelhecimento.

Você já deve ter ouvido falar mil vezes da importância de usar protetor solar. Sua mãe já deve ter brigado com você por esse motivo, e você já provavelmente já ficou vermelho como um pimentão por conta do sol, ardendo tanto quanto. Também provavelmente sabe que essa exposição desprotegida ao astro-rei pode causar câncer de pele.

Se nada disso lhe convenceu o suficiente a se cuidar, quem sabe o exemplo desse caminhoneiro seja o empurrãozinho que faltava. Afinal, quando mexe com a aparência ou com dinheiro, as coisas parecem ter mais impacto na sociedade atual.

Esse caso em particular foi estudado pelos dermatologistas Jennifer R.S. Gordon e Joaquin C. Brieva, da Universidade Northwestern (EUA). Segundo eles, o caminhoneiro possui uma condição chamada de fotoenvelhecimento (dermatoheliosis unilateral), resultante da exposição crônica aos raios UVA e UVB do sol.

A radiação ultravioleta faz parte da luz solar que atinge a Terra. Ela tem três tipos, A, B e C, e apenas os dois primeiros atingem nosso planeta. Ao penetrar na nossa pele, esses raios (UVA e UVB) desencadeiam reações imediatas como queimaduras solares, alergias (desencadeadas pela luz solar) e bronzeamento.

A longo prazo, também podem provocar o envelhecimento cutâneo (o fotoenvelhecimento) e alterações celulares que, através de mutações genéticas, podem levar ao câncer da pele.

E, se você acha que está seguro desses raios por enquanto por que estamos no inverno, está muito enganado. A maior parte do espectro ultravioleta, a radiação UVA, possui intensidade constante durante todo o ano, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno e o verão, e sendo a principal responsável pelo fotoenvelhecimento.

Fugir do sol para se bronzear em câmaras artificiais também é uma péssima escolha: o UVA está presente nessas câmaras muitas vezes em doses mais altas do que na radiação proveniente do sol.

O UVB, por outro lado, é mais incidente no verão, especialmente nos horários entre 10 e 16 horas, quando a intensidade dos raios atinge seu máximo. Por isso precisamos ter cuidado especial no verão: os raios UVB, apesar de penetrarem superficialmente, são os principais responsáveis pelas alterações celulares que predispõem ao câncer da pele.

O fotoenvelhecimento

A expressão fotoenvelhecimento é usada hoje em dia para caracterizar alterações causadas pelo sol em nossa pele, como rugas, manchas, asperezas, etc. Foi o que os dermatologistas viram no rosto do caminhoneiro: um engrossamento e enrugamento gradual da pele do lado esquerdo por conta da exposição solar.

Não sei se você sabia disso, mas não é o processo de envelhecer em si que altera nossa pele. O processo que a danifica é o sol! Ele é o responsável por essa aparência “velha” de uma pele, que pode deixar alguém parecendo ter bem mais idade do que realmente tem.

Toda a exposição que temos ao sol no nosso dia-a-dia, andando de carro, caminhando, praticando esportes, etc, é o que altera e envelhece nossa pele. Por exemplo, confira duas simulações, que, com muita dificuldade, mas usando nossas melhores habilidades como usuários do Paint, conseguimos criar para vocês visualizarem a diferença que o sol causa na nossa pele.

A imagem continua sendo do caminhoneiro. A primeira reflete um rosto que não foi exposto sem proteção ao sol, e a segunda, um rosto envelhecido pela exposição solar.

O melhor conselho que já foi inventado até hoje permanece: use protetor solar. Veja aquioutras dicas para evitar o fotoenvelhecimento.[Gizmodo, NEJM, Dermatologia,MundoMulher]

Fonte:http://professorjosecosta.blogspot.com.br/