IRÁ A GRANDE PIRÂMIDE REVELAR SEU MAIS PROFUNDO SEGREDO?

18/06/2012 18:05

 

                    

 

No início do novo milênio, um pequeno robô abrirá um túnel porta que pode levar a uma incrível câmara enterrada -  o mais notável achado arqueológico de todos os tempos.

 

           

 

Profundamente dentro do maior, mais antigo, mais alto e mais sagrado monumento deste planeta está um segredo fortemente guardado, um mistério que tem dividido a instituição arqueológica, assombrado as maiores mentes e intrigado aqueles que pensam que sabem o que pode, exatamente o que pode lá estar.

O monumento é a grande pirâmide de Gizé, a estrutura extraordinária cuja construção e propósito nos esforçamos para entender. Pode parecer incrível que mesmo com a tecnologia moderna a gente ainda não saiba exatamente o que está lá dentro, e que não tenhamos conseguido mapear cada câmara e túnel; mas devido aos seus surpreendentes blocos de pedra e construção fantástica, ainda não conseguimos.

A pirâmide relutantemente nos conta seus segredos. Mas parece provável que logo, o que seria a mais surpreendente descoberta jamais feita na grande planície de Gizé, será revelada.

Profundamente dentro da pirâmide, onde os blocos de pedra estão mais distantes do sol e envoltos na escuridão e na fria imobilidade dos séculos, jaz uma passagem secreta com uma porta em seu final. Acredito que por trás desta porta esteja uma câmara, oculta tão bem de olhos curiosos, que só pode conter os mais preciosos achados arqueológicos.

E apenas a jardas, talvez ligado ao que está atrás da porta, e sob aquele que é o mais misterioso e inescrutável dos monumentos, a Grande Esfinge, ainda existe uma outra câmara inexplorada. Entranhada na rocha sob a Esfinge, pode estar uma sala que os arqueologistas tem buscado por séculos: o fabuloso Hall of Records [sala dos registros].

Isto é, na verdade, uma grande livraria - o mapa de uma civilização que antecedeu os faraós e cuja participação ao criar a sua grande dinastia. Se uma ou ambas as câmaras secretas forem encontradas, será o mais maravilhoso triunfo arqueológico do século e talvez de todo o milênio. E logo saberemos.

Os egípcios, que no passado tem resistido à busca do Hall of Records, porque isto pode reescrever sua antiga história, tem compreendido e finalmente concordaram em começar a voltar para as pás. As duas expedições - dentro da pirâmide e sob a Esfinge - agora são iminentes e acontecerão quando o Egito marca o milênio com uma cerimônia centralizada na Grande Pirâmide.

Em 31 de dezembro, na batida da meia noite, um helicóptero militar gentilmente planará sobre a pirâmide com 250.000 pessoas assistindo das areias e rochas vizinhas. A nave então vagarosamente descerá um brilhante triângulo dourado no topo da pirâmide.

Por milhares de anos a capa de pedra que encabeçava a Grande Pirâmide de Giza, tinha estado desaparecida. Mas, quando termina um milênio e começa outro, a pirâmide novamente estará completa, dando um pano de fundo maravilhoso para as descobertas que estão por vir.

Na medida em que continuam as celebrações externas à Grande Pirâmide, dentro dela um pequeno robô - equipado com uma câmera de vídeo ligada às redes de TV de todas as partes do mundo - continuará a elevar a abertura da pequena porta que se pensa levar à primeira câmara secreta. Foram gastos longos anos de persuasão e argumentação para chegarmos a este ponto.

Ela foi descoberta por uma equipe alemã em 1993 , é uma porta pequena que fica no fim de uma longa e estreita fossa e mede apenas oito polegadas quadradas. Inicialmente este fosso e tres outros que a equipe alemã andou investigando foram interpretados como tendo  propósitos de ventilação, mas mais recentemente tem sido interpretados como passagens pelas quais o espírito do faraó morto ascenderia às estrelas.

Na medida em que o robô da equipe alemã engatinhava pelo fosso, ele retornava imagens de vídeo. Mas depois de umas duas semanas, uma jornada de 70 jardas, tudo subitamente foi suspenso. A equipe pode ver que o obstáculo era uma porta de pedra com o que pareciam ser duas manivelas de metal, que mais tarde se mostraram ser de cobre.

A porta - é como uma porta corrediça e espera-se ser capaz de deslizar para cima os blocos do fosso, mas não faze-lo completamente. Na parte inferior da porta está uma brecha de uns 5 milímetros e também um canto faltando onde uma câmara de fibra óptica pode ser empurrada para ver o que fica além.

Até o momento ninguém tem certeza do que está atrás da porta, mas seja o que for que esteja lá, deve estar intocado por milhares de anos.

Poderia haver uma câmara secreta completa atrás dela. Se há, acredito que contenha documentos e manuscritos sumamente importantes, que resolverão de uma vez por todas os mistérios de como as pirâmides vieram a ser construídas.

Em resumo, eles serão os "escritos dos deuses".

A evidência da existência de uma "livraria sagrada" é persuasiva. É sabido que o Rei Queops, que teve construída a pirâmide, decretou que ela deveria abrigar algo de máximo valor.

Também é sabido que o rei ordenou que uma câmara secreta deveria ser construída incorporada no projeto da pirâmide. É dito ter existido um cofre de pedra que continha algo tão incrivelmente precioso para a civilização deles que o Rei Queops certamente o teria querido colocado na câmara.

O que poderia ser este misterioso cofre de pedra? A carga mais preciosa, na minha opinião, seriam os "escritos sagrados dos deuses". Isto explicaria porque o fosso tem somente 8 polegadas por 8 polegadas -porque pretendia-se que os manuscritos fossem elevados até o topo. Mesmo pelo fosso isto é relativamente inacessível, e não se fecha completamente. Isto para mim implica que os antigos construtores realmente queriam que a porta fosse encontrada e em último caso, o que pudesse estar escondido atrás dela.

Aqueles que fossem capaz de encontrar isto não seriam povos bárbaros, mas pessoas avançadas e sofisticadas que não teriam apenas os meios de alcançar a porta e abri-la, mas de fazer um uso apropriado dos tesouros misteriosos e preciosos que possam estar atrás dela.

Outros tem diferentes opiniões. Antes da descoberta da porta, os egiptólogos estavam convencidos de que não existia a tal câmara secreta, e qualquer um que insistisse nisto era exposto ao ridículo pelo sistema.

Mas a porta tem desencadeado um extenso sentimento de expectativa, com alguns dizendo que lá estarão os remanescentes de um UFO ou de um ser extraterrestre. Outros tem sugerido que lá está  o local funerário ou uma surpreendente estátua do Rei olhando em  direção à constelação de Órion.

Outros estão completamente convencidos de que as autoridades egípcias já olharam atrás da porta. Este rumor foi alimentado quando a Grande Pirâmide foi fechada para restauração e limpeza em 1997.

As autoridades tiveram bastante tempo - e oportunidade - para enviar um robô ou uma sonda ao longo do fosso e tentar ver o que estava atrás da porta ao inserir uma câmera de fibra óptica por um dos buracos na parte inferior da porta. Os egípcios tem negado isto, mas parece inconcebível que uma tentativa será feita para abrir a porta durante uma transmissão mundial ao vivo pela TV, sem terem tido um ensaio geral antes.

Mas o que falar da outra câmara não explorada sob a Esfinge? É possível que a porta na pirâmide prove ser algum tipo de acesso mas haja também um outro caminho para a abóbada.

Aqui muitos acreditam que acharemos as verdadeiras origens dos  egípcios e teremos luz sobre séculos da misteriosa e maravilhosa civilização perdida de Atlântida.

A evidência de uma câmara sob as patas da Esfinge foi encontrada por sismologistas americanos em 1993. Logo que esta abóbada foi detectada, as autoridades egípcias proibiram qualquer exploração  posterior.

Então, em 1996, foi descoberta uma cavidade sob a parte posterior da Esfinge. E novamente, as autoridades egípcias pararam a exploração. E ainda um ano mais tarde as autoridades pararam novamente o trabalho desta vez em um túnel que conduzia de sob o resto da Esfinge para um antigo fosso a umas 200 jardas de distância. Somente agora uma exploração posterior da área sob a Esfinge foi sancionada.

Tal comportamento das autoridades combinado com períodos de estranho silêncio deles e do sistema egiptológico tem levado a um nível enorme os rumores.

Uma série de teorias de conspirações globais sobre o possível Hall of Records (Sala dos Registros) tem sido proposta, envolvendo governos estrangeiros, CIA, poderosos magnatas de negócios e agentes do governo egípcio [bem como eu].

Uma das teorias mais disseminadas a respeito do Hall of Records é que ele contém documentos de Atlântida. Há antigos sítios arqueológicos ao redor do mundo que ainda não foram datados com sucesso e que se parecem uns com os outros em sua estrutura. E é à Atlântida que muitos especialistas os ligam. Os arredores do que ainda é desconhecido e que se diz ter sido destruida a 10.500 anos atrás possivelmente submersa por uma grande mudança da terra e mares.

Esta civilização altamente avançada tecnologicamente geralmente é vista como jazendo em ruínas no fundo do oceano, mas alguns tem dito que pode ter existido no que hoje é a Antártica, coberta pelo gelo.
Esteja onde estiver, acredito que o Hall of Records seja colocado onde os sobreviventes terminaram e onde deixaram alguma forma de documentação, milhares de anos antes do nascimento do Egito.

Geralmente é dito que as pirâmides tem 4.500 anos - mas há boa evidência de que possam ser muito mais antigas, e portanto construídas por uma outra civilização.
O geólogo de Boston Robert Schoch e o egiptólogo John West tem ressaltado que a erosão da Esfinge data de mais de 8.000 anos  atrás.

E Graham Hancock e eu temos demonstrado que as pirâmides e a Esfinge estão alinhadas a sistemas estelares que só poderiam estar em um tal alinhamento a 10.500 anos atrás, o tempo em que a lenda diz que Atlântida foi destruída.
Ambos achados mostram que a Esfinge e as pirâmides foram construídas milhares de anos antes do nascimento da civilização egípcia.

Isto significa que Gizé deve ter sido construída por outro povo, diferente dos egípcios. Possivelmente pelos Atlantes.

As inscrições egípcias nas paredes, como aquelas de Denderah, se referem a antigos registros que seus deuses - a civilização que precedeu a deles - tinham escondido seus textos.

Ao estar nos túneis sob a Esfinge eu me enfiei no antigo fosso e acredito, sou uma das poucas pessoas vivas que estiveram tão perto do Hall of Records, se ele está lá.

Quando olhei para baixo do fosso, era como olhar fixamente para um buraco negro arqueológico. Mesmo com tochas era difícil ter uma perspectiva deste ambiente de submundo.
A escada de metal abaixo do fosso estava extremamente úmida e muito escorregadia. Era como se realmente olhasse para as entranhas do inferno. 

A três quartos da descida, o ar fica parado e muito úmido e podemos ouvir a água gotejando das paredes e do teto.

Finalmente chegamos a uma grande gruta, obviamente cavada por mãos humanas. Percorri com um raio de luz o cômodo e entendi que grande parte do chão estava submerso na água. O sentimento de mistério e um curioso sentimento de atemporalidade eram  predominantes.

No meio do cômodo estava um tipo de ilha formada de grandes blocos de pedra - obviamente pilares remanescentes ou colunas que uma vez embelezam o lugar.

Embora seja datada de 1.500 AC, senti que pode ser muito mais antigo. Em 1997 o equipamento sismográfico e o radar detectaram um túnel que leva da parte posterior da esfinge em direção a esta  localização.

Tem sido encontradas evidências de um túnel que se dirige da gruta para a Esfinge. Quando fiquei parado no alto de um sarcófago neste ambiente não iluminado e misterioso, era muito tentador imaginar que os dois túneis estivessem ligados.

Através do "canal" ao redor da "ilha" (no qual eu não ousei entrar, por não conhecer a sua profundidade ou se conteria escorpiões e cobras), corria um túnel.

É dito que leva a nenhum lugar. Mas qual era o seu propósito? Porque se preocupar em cortar um túnel em tais circunstâncias tão surpreendentemente difíceis e que não levam a lugar algum?

Por um momento eu pensei que se o robô que estava na porta da Grande Pirâmide pudesse sentir, ele estaria sentindo o que eu sentia, como se ambas as luzes brilhassem sobre as obstruções que bloqueavam os nossos caminhos.

Agora não havia questões em minha mente de que uma outra expedição com um sofisticado equipamento de radar e de controle remoto era necessária para finalmente tentar descobrir o que está sob a Esfinge.

Achei apropriado que o milênio seja o tempo em que o trabalho começará a descobrir mais dos segredos de Gizé. Porque na meia noite de 31 de dezembro a estrela Sirius - a mais brilhante estrela no céu e uma das quais, acredito, tenha tido um forte efeito na  formação da Civilização Egípcia - estará perfeitamente alinhada com o eixo da Grande Pirâmide.

Sirius - e a constelação a que está ligada, Orion - estão evidentes nos antigos registros egípcios.

Os sacerdotes astrônomos iniciados do Egito decretaram que cada ano novo deveria começar com a elevação de Sirius. Para eles, Sirius era um portento de riqueza, já que coincidia com o advento das enchentes do Nilo - por volta do Solstício de verão, quando as chuvas caiam abundantes na fonte do Nilo, na África Central.

Quando Sirius marca o milênio e começa a Idade de Aquário, nós ao menos devemos conhecer mais sobre a grande e antiga civilização do Egito - e talvez descobrir uma outra, ainda maior.

Robert Bauval
Mensagem de earthman. Enviada em 09 de Nov de 1999
Texto traduzido por Lydia Ribeiro

http://www.geocities.com/Athens/Agora/9704/egrevelacao.html